quinta-feira, abril 20, 2006

GATA BRANCA DAS DOCAS

Vinte de abril de doismileseis lá pela tardinha, ali para o lado da Doca de Alcântara, em Lisboa, mesmo ao pé do Speakeasy.

O GATOPARDO em passeio abraçado à sua Nikon.

Uma gata branca e preta encardida a andar junto à beira do cais. De repente, mergulha num vaso com um arbusto, e eis a Princesa da Doca a saborear a doce liberdade à sombra, na primeira tarde de Verão do ano - ainda que por antecipação.

Umas fotografias, a artista a fazer pose...

E a gatinha do cais por lá ficou...

4 comentários:

dreams disse...

e quem não gostava de ficar a espreguiçar numa sombrinha numa bela tarde soalheira??

adorei este teu blog...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

Caiê disse...

Parece habituada a ser Gata das Docas. Tem olhinhos fundos, fundos... Gosto dela. :)

zeni disse...

Na rua nem tudo é mau. Aproveita, gatinha linda!

escorpiaotenhoso disse...

Dreams,

É a filosofia da sexta, que os humanos já adoptaram aqui ao lado na outra Espanha... Obrigado pelo elogio ao "blog"...

Caiê,

Nem imaginas como é bom ser uma gata vadia pelas docas e gozar a liberdade inerente. Mas os olhos fundos e o pelo encardido de sujo traduzem o outro lado da moeda. A liberdade tem um preço muitas vezes terrível. Mas é insubstituível...

Zeni,

Nem tudo é mau na rua, mas como será nos dias sem sol? Ás vezes faz tanto frio, e há gente tão má que ainda hoje maltrata os animais da rua...

Beijinhos e miaus do

GATOPARDO