terça-feira, julho 18, 2006

GARFIELD - O MEU B.I.

Olá a todos. Chamo-me GARFIELD e integro a comunidade do GATOPARDO desde o Inverno de 2001. A médica veterinária calculou que eu teria então 1 ano pelo que se convencionou que nasci em 2000, com o novo século e não vale a pena contraiar ninguém por isso. Tenho pois 6 anos - idade oficial.
Sou o verdadeiro GARFIELD, de carne e osso e um olhar provocante, ao mesmo tempo meigo e maroto. Digo que sou o verdadeiro por constar haver um homónimo estrela do cinema e das bandas desenhadas, que goza de grande popularidade. Para mim a fama é algo de supérfluo, e sinceramente não há nada que seja melhor que uma vida tranquila preenchida pela busca do conhecimento e a harmonia.
Muito desse conhecimento e harmonia tem sido conquistado por mim a dormir. É para verem o estado avançado da mente cá da gataria. Somos seres superiores reconhecidos como Deuses desde há milénios, e bem podemos descansar sobre essas glórias todas. É mais descansar que dormir, que um gato que se preze, por mais burguês que seja tem sempre um olho alerta.
Das minhas origens não ficaram grandes registos. Fui abandonado com cerca de 1 ano numa praceta de Massamá, habitada por gente simpática que durante algum tempo me deu água e comida. Deu para aguentar mas, passado o encanto dos primeiros dias em liberdade, comecei a ter saudades de uma casa e respectivo conforto. Nunca fui gato de ignorar os problemas e para isso puxo pela cabeça. É para isso que temos neurónios. Devem ser utilizados em caso de emergência e depois poupados até à crise seguinte.
Dito e feito. Comecei então a reparar bem nas pessoas que por lá andavam e pareceu-me que o melhor partido era o tipo do cão. Era um rapaz de meia idade que passeava regularmente um Cocker Spaniel dourado, que logo descobri chamar-se CHARLIE. Eles passavam, o cão sempre na ponta da trela a passear o tal fulano. Comecei a meter-me com eles e em breve se desenvolveu uma certa empatia, em especial com o humano. Mas não havia meio de ele me adoptar. Que não podia, já tinha em casa outros 3 gatos para além do cão, blá,blá, blá... Até que numa noite de tempestade, um verdadeiro dilúvio de chuva, frio e vento, estava eu abrigado precariamente debaixo dos caixotes do lixo, quando surge o tal candidato a benfeitor. Eu precisava mesmo de alguém, estava a ficar doente e aquilo da rua não era vida. Saí de debaixo dos caixotes todo molhado, com o ar mais trágico que consegui e fui bem sucedido. Isto é, levado ao colo para a casa do cão, onde também viviam 3 gatos - Nina, Barrabás e Kikas, para além do tal fulano e uma menina que percebi logo ser a filha. Estava doente e espalhei rapidamente alguns problemas às gatas, que o Barrabás tem uma saúde de ferro. Nada que com uns tratamentos se não resolvesse e por aqui fiquei.
Ao princípio houve tentativas de eu ser adoptado por uma nova família mas ninguém me quis e o meu Amigo acabou por aumentar a lotação felina da sua casa de 3 para 4. A minha vida é uma novela e qualquer dia conto-vos aspectos mais intimos da minha personalidade. Por agora vou descansar que estou exausto com tanto esforço literário. Um grande miau para todos e até breve.
Texto do Garfield e do Gatopardo que fez também a fotografia - 2006

17 comentários:

zeni disse...

Isto é um currículo!! E dos bons!

escorpiaotenhoso disse...

Zeni,

O Garfield depois conta outros aspectos da sua longa vida de 6 anos..., nomeadamente a razão por que foi abandonado pelos donos anteriores....no próximo capítulo...

Gatopardo

Rodrigues disse...

Fiquei comovida com a história do Garfield...
Ainda bem que ele é feliz agora.:)

escorpiaotenhoso disse...

Rodrigues,

Ele ainda não contou tudo. Próximo capitulo dentro de dias, e se um dia o quizeres conhecer pessoalmente, o Garfield é muito sociável e simpático. Nunca entendi porque ninguém o quiz quando tentei arranjar dono para ele, como tenho feito com tantos afilhados..,

Gatopardo

Julie disse...

Lindo!
Esse é + um felizardo!
Beijos pra voces

escorpiaotenhoso disse...

Julie,

É um felizardo um pouco malandreco, mesmo à Garfield. São muito parecidos, o meu e o outro...

daraosdedos disse...

É lindo o Garfield!!

escorpiaotenhoso disse...

Dar aos Dedos,
Além de lindo, é enorme e um espertalhão...

ET

Salseira disse...

Hoje resolvi pasar por aqui! :)

Acho que não foram os outros que não quiseram o Garfield... ele é que não os quis. Preferiu ficar com o actual dono. ;)

Meow disse...

Bonita história!

escorpiaotenhoso disse...

Olá Salseira,

Talvez tenhas razão..., e ele está muito bem cá em casa que hoje é de facto antes de mais a casa dele. Quando chegamos a casa, é semp+re o primeiro a vir à porta, de cauda levantada, todo contentes...

ET

escorpiaotenhoso disse...

Meow,

Sim, é uma história engraçada, e o Garfield é um gatão lindo...

ET

Caçadora_de_sonhos disse...

Gostei de conhecer o Garfield...
Ainda bem que ele é um gatinho feliz

b' disse...

olá garfield!

ainda bem que ninguém te quis porque assim ganhaste uma família linda!

beijinhos para ti e para o gatopardo
@:)

escorpiaotenhoso disse...

Caçadora,

O Garfield ficou sensibilizado com a tua visita e diz que um dia destes sonha contigo...

Gatopardo

escorpiaotenhoso disse...

Olá b'

O Garfield de facto praticamente escolheu esta casa. E cada vez gosta mais de mimos e das rotinas burguesas de um gato doméstico bem alimentado e muito acarinhado...

Beijinhos do Garfield e do Gatopardo

psonica disse...

Here are some links that I believe will be interested