segunda-feira, agosto 07, 2006

GATARIA FIXE DA DOCA


O mundo é feito de contrastes e alguns são pesados. O clã de onde veio o TRIPÉ continua a viver junto ao estaleiro da NavalRocha e a zona de bares adjacentes, o mais conhecido dos quais é o Speakeasy. Estive novamente com eles, e lá fiz mais umas fotografias. Estes felinos da borda de água têm um tampão de segurança face a possíveis ameaças e agressões: passam debaixo deste portão e pronto - ficam a salvo dentro do estaleiro, onde são acarinhados pela maioria dos operários...
Palavras e fotos do Gatopardo - 2006

10 comentários:

Meow disse...

O gato da foto inferior é mesmo parecido ao Tripé :)

Quem diria? Miminhos dos operários...

escorpiaotenhoso disse...

Meow,

O gato da foto pode até ser o Pai do Tripé..., os operários gostam muito dos gatos...

ET

zeni disse...

Os gatitos da foto são todos umas belezas, mas tenho uma queda por amarelinhos! Uau!

escorpiaotenhoso disse...

Zeni,

Que eu saiba já tens um amarelinho. Eu tenho uma cinzenta tartaruga, uma siamesa, dois brancos e cinzentos mas com tons diferentes e um cinzento amarelado. Mas gostava de ter um preto, um branco, outro amarelo...por aí...

Gatopardo

Alexa disse...

Também lá estive aqui há uns tempos, ET, depois de aqui teres divulgado a colónia!

São bem lindos, todos eles!
Pena ainda não terem tido a mesma sorte que o teu STRIDER... mas, pelo menos, são acarinhados pelos operários.

Bjs

escorpiaotenhoso disse...

Alexa,

Da minha última visita, fiquei com a impressão que havia menos população, mas apenas temporariamente, pois as gatas estavam para ter filhos... É o ciclo de sempre

Gatopardo

zeni disse...

Pois é, eu já tenho um amarelinho e que detesta concorrência! O ano passado levei para casa um bébé macho amarelo e o Sol ficou muito ofendido e andava sempre a atacar o pequenino. Foi uma semana difícil...

escorpiaotenhoso disse...

Zeni,
Nesse aspecto, eu tive muita sorte com a introdução do TRIPÉ, que não podia ter sido melhor recebido pelos mais velhos. Têm um relacionamento cheio de ternura, que às vezes me comove...

Gatopardo

Rodrigues disse...

Ainda bem que os operários gostam deles. Depois de lá ter estado, nunca mais me esqueci do gatinhos do Cais da Rocha...

AnaCristina disse...

Ando em crise existencial e desaparecida dos comentarios mas lendo os blogues do costume... Sabes, andas a fazer-me gostar de gatos!!
Um abraço